Acne

banner_acne

Acne

A acne resulta da inflamação das glândulas sebáceas, responsáveis pela produção de uma substância chamada sebo, que, por sua vez, tem origem na concentração de diversos tipos de gorduras. Normalmente, o sebo é eliminado pelos folículos pilossebáceos, que, formados de um pêlo e uma glândula sebácea, se localizam na camada intermediária da pele. Mas, quando o espessamento da pele provoca obstrução do folículo pilossebáceo, em vez de ser eliminado, o sebo permanece retido, formando-se aquilo que os dermatologistas chamam de comedões, popularmente conhecidos como cravos.

Os folículos estão presentes na pele do corpo inteiro, exceto nas palmas das mãos e nas plantas dos pés. Mas é no rosto, nas costas e no peito que as glândulas sebáceas existem e maior quantidade. Não é por acaso, portanto, serem essas as regiões mais afetadas pala acne.

A acne afeta 80% dos adolescentes e, às vezes, persiste até a idade adulta. Ela se manifesta pela formação de cravos ou espinhas que, sem tratamento adequado, podem deixar marcas e cicatrizes.

Tipos de acne

A acne manifesta-se de diversas formas, de acordo com o acúmulo de sebo no poro ou do grau da inflamação.

1. Pontos pretos ou comedões abertos. Assim se chamam os cravos constituídos por um tampão de sebo e queratina, a proteína que forma a camada superficial da pele. Esse tipo de acne raramente inflama e pode ser eliminado facilmente em sessões simples de limpeza. Muitas vezes, desaparece espontaneamente.

2. Pontos brancos ou comedões fechados. Esse é resultado da combinação de sebo e queratina, não se elimina com facilidade e pode inflamar.

3. Pápulas. Tipo de acne que se caracteriza por elevações sólidas da pele, avermelhadas e doloridas, causadas por uma reação inflamatória, mas sem presença de pus.

4. Pústulas ou espinhas. Essas, sim, indicam inflamação com presença de pus, na superfície da pele.

5. Cistos ou espinhas internas. São as inflamações com pus nas camadas mais profundas da pele e que nunca se eliminam espontaneamente.

Quais as causas?

Vários fatores contribuem para a formação da acne. O primeiro deles é a predisposição genética. Nesse caso, a doença é hereditária, passando de pais para filhos. Mas a produção de hormônios em excesso, comum na adolescência e que afeta em especial os meninos, também favorece o surgimento de cravos e espinhas. É que, em geral, o desarranjo hormonal se estende às glândulas sebáceas.

Outro fator estimulante da acne é a superatividade das glândulas sebáceas. Algumas pessoas têm glândulas sebáceas mais ativas do que outras, razão pela qual apresentam pele mais oleosa e, por isso mesmo, maior tendência à acne. A própria composição do sebo pode variar e ser mais ou menos irritante para a pele.

A ação das bactérias constitui mais uma fonte de acne. Algumas delas atuam sobre o sebo acumulado e favorecem a inflamação da pele. Quando isso acontece, formam-se lesões avermelhadas, doloridas e com pus. Uma das bactérias mais comuns é a Propionibacterium acnes, presente em todas as pessoas e em maior quantidade na pele das que apresentam grande incidência de espinhas.

Como cuidar?

A acne não se classifica como doença grave, mas deve ser tratada corretamente. Além dos transtornos físicos, ela pode causar problemas psicológicos. Os adolescentes, quando afetados, não raro começam a se julgar feios e a ter vergonha de se apresentar em público. Ao mesmo tempo, espinhas podem dar origem a marcas e cicatrizes. Mais ainda quando a pessoa não resiste ao desejo de espremê-las. Jamais faça isso!

No combate à acne, a primeira coisa a fazer é procurar o uma clinica de medicina estetica, só um profissional qualificado pode indicar o tratamento adequado a cada tipo de pele e de acne.

Jamais parta para a automedicação. Mesmo os produtos cuja venda em farmácias dispensa a apresentação de receita devem ser usados apenas sob orientação médica.

Outra dica: Evite os tratamentos caseiros. A maioria é ineficaz e, às vezes, até prejudicial. Mal aplicada, a substância aparentemente mais inofensiva pode provocar o ressecamento, irritação e até manchas na pele. E, por falar em sol, quem tem acne deve proteger-se dele. Principalmente se estiver sendo tratado com substâncias aplicadas no combate à doença. Depois de bronzeada, você pode ter a sensação de que as espinhas “secaram”. Sensação falsa! Pior: quando a pele começar a descascar, será maior ainda a quantidade de poros obstruídos. E de acne.