Botox e Hiperhidrose

banner_botox

Botox e hiperhidrose

O uso do BOTOX® não tem fins unicamente estéticos. Pessoas que sofrem com a hiperhidrose, ou produção e eliminação excessiva de suor, têm encontrado na toxina botulínica um alívio para seu desconforto. Nestes indivíduos há um estímulo exagerado do sistema nervoso autônomo, área do cérebro responsável, entre outras funções, pela transpiração.

Esta situação afeta principalmente as axilas, porém pode comprometer qualquer área do corpo em que existam glândulas sudoríparas. Desse modo, poderá existir suor em demasia nas mãos, pés, face ou virilhas. Infelizmente, as conseqüências não são nada agradáveis. Quando compromete as axilas, a escolha estratégica de roupas que não denunciem o problema ganha fundamental importância. “Nas mãos, a limitação é ainda maior. Se por um lado torna o indivíduo pouco sociável até no momento de um simples aperto de mãos, por outro transforma o exercício de algumas atividades profissionais praticamente impossível. Imagine uma arquiteta, projetando uma casa, completamente molhada pelo suor excessivo, ou um ourives deixando escorregar pequenas jóias entre as mãos suadas”

Até pouco tempo atrás, além dos paliativos, o tratamento contra o suor excessivo das axilas consistia na retirada das glândulas sudoríparas da região em questão, através de uma cirurgia. Hoje em dia, para quem não pretende enfrentar o bisturi, a toxina butolínica é uma boa opção bastam simples aplicações locais realizadas sem a necessidade de anestesia, no caso das axilas, para que a sudorese seja atenuada por períodos que podem variar de quatro a oito meses, fator que depende da reação de cada pessoa à substância.
O retorno às atividades cotidianas é imediato e o resultado pode ser percebido em poucos dias.